skip to Main Content
Viajante Nato? Descubra As 8 Características De Quem Nasceu Para Viajar

Viajante nato? Descubra as 8 características de quem nasceu para viajar

Autora: Kelly Juste – Mídia Crawl

Curiosidade, espírito aventureiro e capacidade de adaptação são algumas das marcas de quem ama viajar. Mas, ainda é preciso ter outras para poder ser considerado um viajante nato. Confira!

Você mal terminou uma viagem e já fica pensando na próxima? O passaporte é seu melhor amigo e a maioria de suas pesquisas na internet envolve destinos de trip? Tem a curiosidade como característica e mudanças não costumam te assustar? Se a sua resposta foi sim, tudo indica que você tem uma alma viajante.

Segundo pesquisadores, o desejo incontrolável por viajar pode ser uma herança genética. Conhecido como Gene da Aventura, o DRD4 está relacionado ao controle da dopamina, um neurotransmissor que tem um papel importante no sistema de aprendizado e recompensa. Estima-se que aproximadamente 20% da população mundial têm o gene dos viajantes, o que pode explicar porque alguns indivíduos têm esse desejo mais aflorado.

As pessoas que apresentam o alelo DRD4-7R ativado costumam ser criativas e inquietas. Mas, antes de descobrir se ele  está no seu código genético, que tal conferir essa lista com as 8 características de quem nasceu para viajar? Ao final da leitura vai ficar fácil identificar se você realmente é um viajante nato.

Espírito aventureiro

Viajar é sempre uma aventura para o desconhecido, afinal, você nunca sabe quais pessoas encontrará e como será esse novo lugar. E quanto mais você viaja, mais alimenta esse desejo de embarcar para uma nova experiência.

Empatia

Por conhecer mais lugares e diferentes pessoas e culturas, o viajante nato desenvolve um forte senso de empatia. Cada uma de suas experiências o faz não só aceitar, mas apreciar as diferenças entre as pessoas.  

Disposição a aprender e curiosidade

Pessoas que amam viajar tendem a ter disposição a aprender. Isso porque, à medida em que conhecem novas pessoas, ficam mais abertas para descobrir e quebrar paradigmas. Como consequência, tornam-se cada vez mais curiosas para conhecer novas culturas e habilidades.

Aceita mudanças

Crédito: Unsplash

Para o viajante, a mudança — que não precisa ser necessariamente física — se torna um modo de vida. Ele pode passar apenas alguns dias fora de casa, mas já é suficiente para mudar sua mente e seu modo de agir. Ele enxerga o novo a cada nova parada e entende que mudar é uma das melhores coisas ao viajar.

Autoestima

Viajar também estimula a sair da zona de conforto. Você fala com estranhos, conhece novas pessoas em hostels e supera desafios — como lidar com dinheiro roubado. Tudo isso ajuda a melhorar a confiança nas habilidades pessoais e desenvolve a autoestima.  

Autoconhecimento

Viajar é sempre uma oportunidade de se conhecer melhor. O viajante aprende a conhecer seus limites e medos; suas forças e fraquezas.

Gratidão

A gratidão começa a fazer parte da vida do viajante. Por encarar diferentes modos de vidas — alguns, inclusive, considerados imorais —, ele passa a ser grato a tudo que tem: sua comida, a oportunidade de viajar e, principalmente, à vida que leva.  

Capacidade de adaptação

A flexibilidade faz parte de quem adora viajar. Não poderia ser diferente, afinal, é preciso se adaptar constantemente. Novos ambientes, novas pessoas, culturas distintas, sabores curiosos, línguas locais e leis diferentes; tudo isso exige que o aventureiro desenvolva sua capacidade de adaptação, caso contrário ele não sai do lugar.  

E então, será que você já pode se considerar um viajante nato? Se a resposta for sim, conta pra gente qual será o seu próximo destino!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back To Top